Páginas

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Versos de adeus

Versos de adeus

Por vezes na cadência desse amor
Teus suspiros deram-me inspiração.
Nossa prosa ou verso arrebatador
Converteram-se em beijos e canção.

Éramos o universo em sintonia.
Do perfeito a personificação.
Presos à luxuriosa liturgia,
De corpos e prazer em expansão.

Para nós reservei a eternidade,
Mesmo sendo o futuro um mar aberto
Contigo enfrentaria as tempestades,
Seria Oasis em meu deserto.

Foste um anjo no inferno das vaidades,
Dos pecados a doce redenção
Mas quis Deus entregar-me a essas saudades
Responsáveis por minha perdição.

Teu adeus repentino me matou,
Mas a vida não me deixou partir.
Tornou-me esse vazio que agora sou.
Inimigo de meu próprio devir.

Mas bem sabes como eu sou pertinaz.
Quero sempre o destino em minhas mãos
Já não me satisfazer olhar pra trás.
Decidi não viver mais sonhos vãos.

Meus suspiros derradeiros já são.
Estes versos de adeus dedico a ti,
Provando que fostes inspiração
Dos devaneios que escrevi e vivi.

                                           Robson Heleno


Fonte imagem:  http://3.bp.blogspot.com/-slFdEmA7m8w/TgXTl4rQ9NI/AAAAAAAAA6U/EIzTb69mQuQ/s1600/escrevendo.jpg